O cão, como o lobo, é um animal gregário. Por isso, é muito importante que durante os períodos de domesticação o cão considere o homem como igual.

Na socialização, o cão aprende o lugar hierárquico que lhe corresponde, para tal o dono tem de saber o que fazer e como fazer.

Os animais sociaveis e bem socializados pelo criador e dono não mostram dificuldades de integração na família nem de vivência entre pessoas.

A partir do momento em que se detecte o minimo indício de problemas na sociabilidade do cão, deve-se recorrer ao conselho de um especialista. No mundo civilizado actual é inaceitável que um cão dê origem a problemas. Neste sentido, cada proprietário tem a responsabilidade de garantir que o seu cão não cause prejuízos.

Quem não tem conhecimentos a cerca de cães confunde frequentemente sociabilidade com afectividade generalizada.

É preciso não esquecer que um cão sociável relaciona-se exclusivamente com os membros de sua alcateia ou família com a qual vive. Portanto, o cão bem educado, mostra-se indiferene a estranhos sejam pessoas ou animais. E fique claro que indiferença é um absoluto desinteresse. Um cão assim não espera nada de ninguém, não se sentirá inclinado a mostrar afecto ou agressividade em relação a alguém estranho. Só deste modo não estará permanentemente distraído, tornando-se o seu dono o centro do seu mundo.

Só o cão que não alimentar expectativas de agressão ou carinho por parte de desconhecidos permanecerá tranquilo junto do seu dono. Não demosntrará a sua superioridade a todos os cães com que se cruza e setir-se -á sempre seguro de si.

Um cão com seu afecto mal dirigido derrubará crianças e idosos, mas por contrário, um cão bem socializado conduzir-se-á com discrição e o bom comportamento e tranquilidade tornarão sua compania um verdadeiro prazer.